Ano novo, vida nova?

Por LP Machado

Réveillon é um substantivo masculino com origem no idioma francês que, etimologicamente, vem do verbo réveiller e significa “acordar”. Não coincidentemente existe toda uma cultura envolvendo réveillon e fogos de artifício que, por sua vez, são os responsáveis por fazer barulho suficientemente capaz de nos manter “acordados” nos primeiros instantes de janeiro.

Mas… E depois? O que você faz depois dos fogos e da empolgação que geralmente culmina nas famosas promessas de ano novo?

– “Esse ano eu vou emagrecer!”
– “Esse ano eu vou aprender inglês!”
– “Esse ano eu vou passar no concurso!”
– “Esse ano eu saio do aluguel!”
– “Esse ano eu troco de carro!”
– “Esse ano eu gasto menos!”
– “Esse ano eu mudo de vida!”
– “Esse ano é o meu ano!”

Eu realmente torço para que todas as suas promessas de ano novo se transformem em conquistas. Porém, preciso ser realista e, com muito amor, dizer a você que isso dificilmente vai acontecer.

O fato é que, enquanto você viver de promessas de ano novo, as chances de você cumpri-las são equivalentes a ganhar sozinho o prêmio prometido na mega da virada. É possível? Sim, é, mas também é extremamente desafiador.

Sob esse contexto é possível entender que existe uma grande diferença entre fé e crença. A fé é o lance de sorte, a jornada ao acaso, a aposta. Já a crença é construção da boa sorte, o entendimento da autorresponsabilidade, a orientação para o planejamento.

Reflita e responda para si mesmo:

– O que você melhorou como pessoa em 2017?
– Você tem orgulho das suas ações em 2017?
– Qual foi a sua grande conquista em 2017?

Se não há satisfação nas suas respostas fica tranquilo, está tudo certo, cada um teve o 2017 que mereceu. Agora, na condição de coach integral sistêmico, preciso lhe fazer mais algumas perguntas:

– Até quando?
– Até quando resultados que não geram satisfação pessoal?
– Até quando as mesmas ações esperando resultados diferentes?
– Até quando finalizar o ano com a sensação de que poderia ter feito mais?
– Até quando as mesmas promessas feitas na virada de todos os anos?

Não cabe agora se entristecer pelo que não foi alcançado em 2017. Reconhecer o esforço empregado até aqui é tão importante quanto avaliar o que não deu certo, ponderar sobre os aprendizados e pontuar o que pode ser feito de forma diferente.

Cabe agora você decidir ser melhor do que no ano que passou!

É a decisão de mudar, seguida da ação necessária para a mudança que levará você ao resultado que deseja alcançar. Não tenho dúvidas de que a virada no calendário é um ótimo incentivo externo para a mudança. Se o réveillon faz você acordar isso é ótimo!

O que ressalto aqui é que, melhor do que acordar apenas no réveillon, é manter-se plenamente acordado o ano inteiro, transformando promessas em metas e sonhos em realidade, pois é o incentivo interno que faz a mudança realmente acontecer, independente do dia, mês ou ano.

Quem tem metas claras não perde tempo esperando a virada do ano. Preocupe-se menos com o calendário e dedique-se mais ao seu legado. A melhor forma de construir o futuro é se dedicando ao agora. A evolução é contínua.

Meus votos é para que, em 2018, você aja como se o amanhã não existisse, que você simplesmente faça o que precisa ser feito todos os dias e que assim desfrute do resultado e da novidade de vida que, consequentemente, virá.

Feliz ano todo!!!

5 de Janeiro de 2018


1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*