Deputado Leandro Grass constata caos no Hospital de Ceilândia e solicita auditoria na saúde do DF

O deputado Leandro Grass (Rede) requereu à Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) que solicite ao Tribunal de Contas do DF a realização de auditoria na Saúde do DF. O documento foi protocolado um dia depois de o distrital visitar o Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e constatar o caos na unidade de saúde. O parlamentar encontrou pacientes internados nos corredores, sem atendimento, com soro pendurado nas paredes e superlotação.

Na última quinta-feira (13), Leandro Grass esteve no HRC para fiscalizar a prestação do serviço aos pacientes. O distrital encontrou o pronto socorro lotado, com demora no atendimento. Na entrada da internação, por falta de agentes de portaria, vigilantes faziam a inscrição dos visitantes. Dentro da unidade, a realidade era ainda pior: pacientes internados estavam acumulados em todos os espaços vazios, inclusive nos corredores, com acesso do soro pendurado na parede.

“É um absurdo, um descaso, o que o governo está fazendo com a população do DF. Chegamos ao HRC, constatamos o caos e ainda descobrimos que não havia um diretor-geral respondendo pela unidade, pois o antigo foi exonerado na semana passada e até hoje o novo não ocupou o cargo”, afirmou o deputado Leandro Grass. Para ele, a situação da saúde do DF deve ser apurada e os responsáveis pelo descaso punidos. “Pergunto se essa barbárie que está custando a vida dos cidadãos é proposital. Querem precarizar para justificar a ampliação do IGES? Não adianta demitir diretor e não arrumar a casa. A população exige uma resposta imediata. Por isso que pedi à Mesa Diretora da CLDF que solicite ao TCDF a apuração”, completou o deputado.

Uma das denúncias recebidas pelo distrital é a de que pacientes do Instituto Hospital de Base estão sendo direcionados para fazer tomografia no HRC, o que prejudica, segundo o relato, o atendimento dos que chegam ao hospital ou que estão na fila esperando pelo exame. Pacientes e servidores também denunciaram a falta de infraestrutura, a escassez de médicos no acompanhamento aos pacientes. Na quinta-feira, por exemplo, apenas um médico cuidava de toda a lotação na internação.

O requerimento protocolado pelo distrital pede que o TCDF apure o dimensionamento de pessoal, a adequação das escalas de trabalho nos prontos socorros dos hospitais vinculados à Secretaria de Saúde e nas unidades que compõem o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (IGES-DF). O objetivo é avaliar se o serviço está sendo prestado de forma contínua e satisfatória. Leandro Grass também pede que a auditoria avalie a gestão da tomografia no DF, verificando se os exames solicitados pelas unidades do IGES DF estão sendo realizados pelas unidades vinculadas à Secretaria de Saúde.

 

Com informações da assessoria de imprensa do deputado distrital Leandro Grass

17 de junho de 2019