Hospital adota tecnologia inédita para administração de medicamentos

Pensando na segurança dos seus pacientes, o Hospital Santa Marta, localizado em Taguatinga Sul, é o primeiro hospital privado do Distrito Federal a implantar a Checagem Beira Leito – tecnologia móvel que otimiza o processo de administração de medicamentos, garantindo que seja realizado de acordo com as especificações de segurança. Com o processo eletrônico, os dados são atualizados automaticamente no prontuário do paciente, o que reduz as chances de erro. O sistema também elimina a necessidade da prescrição impressa e oferece uma maior mobilidade à equipe de enfermagem, possibilitando ganhos em agilidade e produtividade.

Para implementar essa tecnologia, a Instituição precisa ter um controle minucioso dos medicamentos disponíveis na Farmácia – separados por lote e validade; os médicos devem usar sistematicamente a prescrição eletrônica e a equipe de enfermagem precisa utilizar os recursos de aprazamento e aplicação das medicações. Com a Checagem Beira leito, o enfermeiro não precisa dispor de tempo para calcular dosagens, o que aumenta a produtividade de cada profissional, assim como a qualidade no atendimento aos pacientes, contribuindo na eficiência hospitalar. Para a Diretora Assistencial Dra. Vilany Mendes, “a diminuição na margem de erro é o aspecto principal, e essa implementação representa um grande e audacioso salto para uma Instituição de saúde”. A Gerente de Enfermagem Gisele Brocco complementa que “é difícil quantificar o retorno do investimento, mas, o maior ganho é a segurança do paciente e a qualidade da assistência conquistada pelo Hospital”.

Em torno de oito mil mortes no Brasil são decorrentes de erros de medicação. É o que aponta um estudo realizado pelo Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP Brasil). Um levantamento da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo aponta que 77,3% dos erros na terapia medicamentosa são relativos ao horário de administração dos fármacos, 14,4% à dosagem, 6,1% à troca na via de administração e 0,5% à confusão de paciente.

 

8 de dezembro de 2017