Jovens no exterior pretendem voltar para trabalhar no Brasil

Dos quase mil jovens que responderam à pesquisa da Cia de Talentos — empresa de educação para carreira, em parceria com a BRASA (Brazilian Undergraduate Student Conference) —,  48% pretendem voltar ou já voltaram para o país (26% e 22%, respectivamente) enquanto 34% ainda estão na dúvida se regressam ao Brasil. Deles, 48% estão a menos de dois anos morando fora.

Aos jovens, foi questionado o seguinte: vocês, brasileiros que estudam fora do Brasil, seja nos Estados Unidos, Europa ou Canadá, quais são os seus planos? Retornariam ao país? Dentre os motivos que sustentam suas escolhas está a volta para o mercado de trabalho nacional.

Dos respondentes, 68% são jovens que estão cursando ou já cursaram uma graduação no exterior; 30% cursa ou cursou uma pós fora do Brasil enquanto 2% está no ensino médio. A faixa etária de 46% deles é de 21 e 25 anos, 59% moram nos  Estados Unidos, 17% na França e 4% no Canadá.

Valorização profissional

É fato que uma experiência acadêmica ou profissional em outros territórios traz muitos benefícios, como a aquisição de conhecimento, novas culturas, amadurecimento pessoal e profissional, além do conhecimento e aprendizado em universidades renomadas mundo afora. Apesar de todo o prestígio, ampliação do networking internacional e o investimento na carreira, os resultados trazem um panorama de que os jovens que vivenciam essa oportunidade já perceberam que morar fora do Brasil também não é um mar de rosas, pois as dificuldades podem ser inúmeras se não existir planejamento e estar disposto a superar desafios.

Contribuição que vale ouro

Segundo Danilca Galdini, diretora de pesquisa da Cia de Talentos, as contribuições que estes jovens que estudaram fora do país pode dar ao Brasil são diversas. “Esse profissional volta com uma perspectiva diferenciada, uma visão ampla sobre o mundo, trazendo na bagagem novos conhecimentos e experiência prática, além da clareza sobre o que funciona melhor por aqui, quais são as fortalezas que temos no Brasil e o que podemos potencializar”, afirma. Danilca completa que eles voltam com a inovação a flor da pele, adaptando experiências positivas para a realidade do país e novas formas de resolver problemas antigos.

A pesquisa foi apresentada durante a BRAZUSC 2018 (Brazilian Undergraduate Student Conference), na Emory University, em Atlanta, pela organizado BRASA (Brazilian Student Association), que tem por objetivo aproximar o estudante brasileiro no exterior à realidade social, econômica e política do Brasil. Grandes nomes da política, economia, empreendedorismo, tecnologia, mídia, carreira e esporte estiveram presentes para conversar sobre os desafios e oportunidades do país nos próximos anos e para inspirar os alunos presentes na conferência.

 

8 de novembro de 2018