Mais de 1/3 da população do DF estava “negativada” em agosto, aponta levantamento

De acordo com levantamento inédito realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), administrado em Brasília pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), cerca de 829 mil pessoas físicas da capital do País estavam negativadas em agosto. O número representa 36,5% da população brasiliense entre 18 e 94 anos. A estimativa apresenta margem de erro de 4,0 pontos porcentuais para um intervalo de confiança de 95%.

Para o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, o dado é preocupante e tem como uma das principais razões o elevado desemprego no Distrito Federal. Segundo a Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), julho fechou com 320 mil desempregados (19,5% da população), índice menor que o do mês anterior (329 mil pessoas sem emprego), mas maior que o de julho de 2016, que foi de 17,8%. “A economia ainda precisa melhorar para absorver esses trabalhadores que estão parados e, consequentemente, diminuir a aquisição de dívidas”, pondera.

Apesar de ainda ser alto, o número de inadimplentes é menor que o do ano passado: houve queda de 1,19% em agosto de 2017, na comparação com o índice do mesmo mês de 2016. Já na passagem de julho para agosto deste ano, o número de devedores do Distrito Federal cresceu timidamente: 0,03%. Na região Centro-Oeste, a variação foi de 0,55%.

O comércio, no entanto, não tem sido tão impactado pelos devedores. A pesquisa mostra que o setor foi o que teve a maior baixa no número de dívidas em atraso em agosto no DF: -11,68%. O setor que registrou o maior número de dívidas em atraso foi o de água e luz (24,84%).

O levantamento mostra ainda que o número de devedores com alta anual mais expressiva no DF em agosto foi o da faixa de 85 a 94 anos (11,61%). Em todo o País, o número de inadimplentes também diminuiu, mas em proporção um pouco menor ante a média nacional: -0,41%.

Fonte: CDL-DF

21 de setembro de 2017