Na base da fraude: o perigo das pirâmides financeiras

Por Alessandra Uzuelli

Na última quinta-feira dia 21, foi deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal a Operação Patrick, que teve como alvo os executivos da Wall Street Corporate, empresa responsável pela Kriptacoin, espécie de moeda digital, que no entendimento da PCDF e do Ministério Público do Distrito Federal, agiam de forma fraudulenta, fazendo crer aos desavisados que a moeda digital, anunciada no site da empresa, poderia gerar grandes lucros a quem nela investisse, desde que houvesse um investimento substancial para a mineração da moeda a empresa também promete ganhos exponenciais com captação de novos investidores.

Quando falamos sobre moeda digital, muita gente tem dúvidas quanto a sua validade jurídica e econômica. As dúvidas são necessárias e as perguntas devem sempre ser respondidas ANTES que haja o investimento para que aquele que empregou dinheiro ou mesmo Bitcoins na moeda não sofra com a possibilidade de um golpe. Para que as possibilidades de cair em uma fraude ou golpe, procure os sites especializados, a informação é sempre a melhor arma contra este tipo de crime.

Os crimes desta natureza (pirâmides, estelionato) geralmente são praticados aproveitando-se o fraudador da boa-fé e/ou do desejo da vítima de obter algum lucro fácil. Neste caso específico da kriptacoin, diversos sites e investidores especializados haviam alertado para a possibilidade de fraude no sistema, alguns blogs também voltados para este tipo de assunto já haviam previsto a queda e o possível calote da kriptacoin.

As moedas digitais possuem uma reputação que deve ser sempre levada em consideração na hora do investimento para que não haja surpresas no final e mesmo as mais conhecidas (Bitcoin, Ethereum, Repple, Altcoins) ainda geram desconfiança. Os sistemas Ponzi (pirâmides financeiras digitais), estão cada vez mais ousados e acabam captando aqueles investidores de primeira viagem em um esquema que apela para a emoção e que levam as pessoas a comprarem a ideia de forma muito extrema.

Os defensores da Kriptacoin, dizem que a moeda de fato existe, que é possível fazer sua mineração e que o resgate em reais é possível e que se trata de Marketing Multinivel. No entanto, algumas pessoas que fizeram amplo investimento na moeda que pode variar de dois a oito mil dólares, têm encontrado grande dificuldade para resgatar o dinheiro.

Em tempos digitais, devemos estar atentos as novas formas de crime virtual, fique atento a sites que prestam informações inconclusivas, com links quebrados, com muitos erros de concordância e de grafia, cheque os endereços e telefones fornecidos, de preferência presencialmente, procure nos sites de busca pela empresa, salve as páginas e os IPs de sites onde você realizou investimentos.

Se houver uma decisão pelo investimento na empresa, na moeda digital, no empreendimento anunciado, no produto a ser comercializado e qualquer um destes oferecer promessa de recompensa por captação de novos associados ou parceiros e um ganho muito acima do mercado, renove a atenção você pode estar entrando em uma Pirâmide Financeira.

Atenção, o Marketing Multinível realmente existe, possui validade jurídica e tem, geralmente, uma sólida base de vendas, o que significa que a empresa não depende da captação de novos cooperados para lucrar, mas da venda e disponibilização de bens. Quando há uma oferta exagerada de bens ou a ausência de um produto real e a necessidade de aumento continuo da rede para que haja lucro é que se pode configurar a Pirâmide Financeira.

Caso tenha sido vítima de uma Pirâmide Financeira, o que posso fazer? Você vai precisar entrar com uma ação para reaver os valores e pode acontecer que eles nunca retornem. Assim, na primeira oportunidade, procure um advogado.

Até a próxima!

26 de setembro de 2017