Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro democratiza acesso à cultura

Concerto no Mané Garrincha fez uma viagem no tempo por meio de trilhas sonoras clássicas do cinema

As atenções no Estádio Nacional Mané Garrincha neste domingo (1) não estavam no gramado, voltadas para algum jogo de futebol. Se dirigiam para a belíssima apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro – que, por iniciativa do Governo do Distrito Federal/Secretaria de Cultura, democratiza o acesso à cultura e à música sinfônica, de qualidade.

Regida pelo Maestro Cláudio Cohen, os 90 músicos da OSTNCS fizeram uma viagem pelo mundo, pelo tempo, dentro e fora do país, apresentando trilhas clássicas do cinema, muitas em arranjos próprios, chegando até o rock´roll ou embalado pelo sertão nordestino com Luiz Gonzaga.

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

O maestro iniciou o  recital com Aquarela do Brasil. Em, mostrando que tem diversidade de repertório, a Orquestra Sinfônica entrou pela trilha do filme Vingadores e, em seguida, para a guerra espacial de Star Wars. Depois dessa viagem fora do planeta, seguiu para os Caçadores da Arca Perdida. Saindo do Egito, foi para o mar azul da América Central, com Os Piratas do Caribe.

Depois da viagem cinematográfica, os músicos mostraram que sabem interagir com diversas linguagens musicais. Diversificaram o cardápio e apresentaram Beatles Forever, entre outras. Encerrando, contemplaram as tradições nordestinas com Luiz Gonzaga, em Gonzaguiana.

O público participou batendo palmas, e aplaudiu de pé. E pediu bis. Prontamente atendidos com uma trilha sonora de cinema, desta vez de  Superman.

Essa foi a primeira vez que a estudante Thatila Cristina Marques, de 23 anos, assistiu à apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro. “Achei lindo, maravilhoso! Gostei de ver a postura dos músicos. Acho interessante a expressão deles. E o que mais gostei foi a música do filme Vingadores. Foi lindíssimo. Recomendo para todos assistirem, inclusive eu estarei na próxima apresentação, no Cine Brasília”.

Popularização
O Maestro Cláudio Cohen pontuou que a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro tem apresentado projetos que visam a popularização e a descentralização da música de concerto.

Nessa linha, tem se apresentado em várias regiões administrativas do Distrito Federal, como Ceilândia, Samambaia e Santa Maria. “Temos também o projeto Concerto Didático, onde levamos para o Cine Brasília alunos da rede pública de ensino para conhecerem como é o funcionamento da orquestra sinfônica. É a inclusão cultural desses jovens, dando a eles a oportunidade de ver a orquestra e também de assistir a um concerto”.

Também na intenção de humanizar e socializar através da música, a Orquestra tem se apresentado em UPA’s e hospitais públicos do DF.

Gerente da Orquestra Sinfônica, Hernani Santos enfatiza que as apresentações da orquestra eram para a elite. “Hoje nós estamos onde o povo está, tocando músicas populares, que o povo gosta de ouvir, mas de uma forma erudita”.

Feira estudantil
A apresentação marcou o encerramento da primeira feira estudantil do Distrito Federal.  “Não haveria maneira melhor de encerrar nosso evento. A apresentação da orquestra sinfônica na Feira será mais que emblemática, já que neste ano comemoramos 40 anos da sua fundação, e lembramos também o maestro e compositor Cláudio Santoro, que teria completado 100 anos em novembro”, afirma o coordenador geral do evento Danillo Ferreira.

Sobre a orquestra
Fundada há 40 anos, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília foi fundada em março de 1979 pelo maestro e compositor Claudio Santoro, com o nome Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília. Em 1989, tornou-se Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS) em 1989. Hoje é uma das principais organizações do gênero no Brasil.

Sobre a Feira do Estudante
Com entrada gratuita, a feira conta com o apoio do Governo do Distrito Federal, em parceria com as Secretarias da Educação, Cultura, Desenvolvimento Social, Esportes, Juventude, e Turismo. O local foi  palco de um grande evento dedicado ao conhecimento e aprendizado, com mais de 150 atividades que, juntas, ultrapassam 100 horas de conteúdo e interação com o público presente, entre workshops, palestras, oficinas, rodas de conversa, espetáculos de dança e apresentações culturais.

 

Com informações da Agência Brasília

 

2 de dezembro de 2019


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*