Painel eletrônico traz mais agilidade e transparência às sessões plenárias da CLDF

O PL nº 717/2019, que amplia a segurança dos motoristas de aplicativo, foi aprovado em 45 segundos no primeiro turno e 32 segundos no segundo

A Câmara Legislativa do Distrito Federal, que antes era uma das únicas casas legislativas do País sem painel eletrônico, além do Piauí, inaugurou este mês a tecnologica que amplia a transparência e agilidade do trabalho legislativo. São dois telões de 240 polegadas e um terceiro de 147 polegadas em frente à mesa que conduz as sessões plenárias. O sistema, em operação desde o dia 4 de fevereiro, já foi utilizado na votação de seis projetos de lei, um PDL e na análise de diversos vetos.

À frente da implementação do painel, o vice-presidente Delmasso (Republicanos) destaca que a CLDF está em processo de modernização. “As votações se tornaram rápidas com o suporte tecnológico”, afirma o deputado, citando o exemplo da aprovação do PL nº 717/2019, na última terça-feira (12), que amplia a segurança dos motoristas de aplicativo. “Durou exatamente 45 segundos no primeiro turno e 32 segundos no segundo”. O Delmasso destaca ainda a recente digitalização dos processos administrativos e legislativos pelo Sistema Eletrônico de Informações (SEI), que aboliu a tramitação em papel na Casa.

Interação – O painel eletrônico do Plenário possui diversas funcionalidades, destaca-se o registro dos votos e das presenças e ausências dos parlamentares. Os votos serão registrados em tempo real, com a totalização ao final de cada processo de votação. Cada um dos 24 distritais dispõe de um tablet para interagir com o painel, por meio de controle biométrico. Além de mostrar as proposições em pauta e tempo de fala dos oradores, os maiores trazem a transmissão ao vivo da sessão plenária feita pela TV Web da CLDF.

Dinâmica – O painel eletrônico alterou as dinâmicas tanto dos servidores em plenário, como dos próprios parlamentares. O deputado Reginaldo Veras (PDT) analisa positivamente a medida e diz que o painel “facilita o trabalho das equipes de comunicação, visto que tem mais informações disponíveis”. Animado com a novidade, Veras comentou ainda estar se “sentindo no Senado”.

Já Roosevelt Vilela (PSB) defendeu que o setor público precisa de atualizações tecnológicas e ressaltou que o painel “vem como incentivo à presença dos deputados”. Ele observou ainda que a tecnologia exige ainda mais responsabilidade nas votações, pois a “população fiscalizar os votos de seus representantes em tempo real”.

O deputado Valdelino Barcelos (PP) também acredita que a tecnologia facilitou o trabalho em plenário e afirma que será “ótimo, principalmente para a comunidade que terá ciência de quem está ou não na Casa, além de conseguir acompanhar a sessão de forma mais clara”. Barcelos também destaca que o manuseio do sistema é “bem fácil e intuitivo para os deputados” e evita “fraudes por conta do registro da digital”.

Imprensa – O painel eletrônico também impactou positivamente o trabalho dos profissionais de imprensa que cobrem as sessões em plenário. A jornalista Simone de Moraes diz que a novidade “facilita a vida dos jornalistas, pois a imprensa fica ciente da proposta em discussão em primeira mão”.

A jornalista Evely Leão e o fotógrafo Alexandre Bastos, ambos assessores de parlamentares, também destacaram a contribuição do painel para o acompanhamento das votações e dos pareceres de comissões. Evely acredita que o painel cumpre seu papel, mas sugeriu o uso de outra cores para melhorar a legibilidade.

Da revista “Contemporânea”, Davi Costa, afirmou que a iniciativa torna a “sessão mais didática, interativa e transparente”. Já Suzano Almeida, do portal Metrópoles, elogiou a iniciativa, mas sugeriu um aprimoramento no controle de frequência dos deputados no processo. “Não adianta apertar o ponto e sair da sessão, tem de garantir que o deputado participe de um terço das votações para ter direito à presença”, diz o setorista.

Cidadãos– Da galeria do plenário, ficou mais fácil para a população acompanhar o fluxo de informações de uma sessão plenária. Para Emanuel da Silva, motorista de aplicativo, o painel “evita dúvidas na identificação dos deputados que têm a palavra e das comissões que estão se pronunciando sobre os projetos. Claudia Regina, também motorista de aplicativo, destacou que o controle do quórum no painel, deixou a sessão mais clara para a população”.
Com informações do Núcleo de Jornalismo da Câmara Legislativa do DF 

14 de fevereiro de 2020


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*