Políticos do passado são o que se apresenta de novo

“Não há necessidade de renovação quando há capacidade e honestidade naqueles que têm história”. A frase do ex-deputado, ex-senador e ex-ministro do TCU, Valmir Campelo, resume bem o espírito com que um grupo de antigos políticos da cidade procura voltar ao cenário eleitoral do DF.

Junto com Jofran Frejat e Maria de Lourdes Abadia, Valmir Campelo integrou a primeira bancada de deputados federais do DF, eleita em 1986 E os três agora buscam se posicionar para as eleições do ano que vem. “A política de Brasília se voltou para as corporações e o nós estamos na memória do povo”, acredita Abadia. Ela diz que não há surpresa em que antigos nomes sejam cotados para voltar a dominar a cena política local. “Quem diria que o Íris voltaria em Goiás”, compara a ex-governadora.

Frejat também bate na tecla de serviços prestados à cidade para justificar a lembrança de seu nome e de outros antigos políticos. “Quem fez é lembrado. Agora, quem passou e nada fez, tende a ser esquecido”, diz sem citar nomes. Candidato derrotado ao GDF nas eleições passadas, Frejat admite que há uma certa descrença com a classe política por conta dos constantes escândalos dos últimos anos, e que isso faz surgir nomes novos. “Tem casos de figuras como o Dória, mas vamos ver, pois esses discursos arrumadinhos nem sempre dão certo”, adverte.

Frejat , pelo PR, e Valmir Campelo, que já tem sua filiação praticamente acertada com o PPS, planejam disputar um cargo majoritário, de governador ou Senador. Abadia, por sua vez, continua no PSDB e até brinca com sua longevidade na legenda: “sou tombada no PSDB”. Apesar de tucana história, a ex-governadora não sonha com voos altos. “Não decidi se serei candidata, mas se for, serei a deputada federal ou distrital”.

31 de Maio de 2017