Presidida pelo deputado Delmasso, 5ª edição do Purple Day Brasília conscientiza sobre epilepsia

Evento propõe combate ao preconceito às pessoas com epilepsia

A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa com Epilepsia, presidida pelo deputado Delmasso (PRB), e a ONG Viva Além das Crises realizaram neste último domingo (24) a 5ª edição do Purple Day Brasília, no estacionamento do Parque Ana Lídia, no Parque da Cidade. O objetivo do evento é propor uma conscientização e combate ao preconceito às pessoas com epilepsia.

A programação teve um café da manhã, onde os participantes trocaram experiências do dia a dia das pessoas com epilepsia. O neurologista Dr. Wagner Teixeira, a fisioterapeuta Dra Flávia Regina de Souza e a neuropediatra e coordenadora do ambulatório de dieta cetogênica do HMIB, Dra Ludmila Uchôa, orientaram e tiraram as dúvidas das famílias sobre a epilepsia.

Janaína Luiza Silva, mãe da Ana Luiza, que tem 13 anos e epilepsia refratária de difícil controle, falou sobre o preconceito, uma das maiores dificuldades. “Quando ela tem uma crise na rua, as pessoas olham de um jeito diferente, correm e saem de perto. O Purple Day é muito importante para mostrar que a epilepsia não é contagiosa, que as crianças com epilepsia podem brincar com as outras”, relatou.

A presidente da ONG Viva Além das Crises, Danielle Delmasso, disse que o principal objetivo do evento é mostrar que as famílias de pessoas com epilepsia não estão sozinhas. “Esse movimento cresceu e alcançou vários países do mundo. É uma alegria estar reunido com todos vocês. A ONG nasceu com o intuito de que, mesmo com as dificuldades, a gente aproveite o melhor da vida”, explicou.

 Conquistas das famílias de pessoas com epilepsia no DF

Uma das grandes vitórias foi a aprovação da Lei nº 5625/2016, de autoria do deputado Delmasso, que cria o programa de assistência integral à pessoa com epilepsia, melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

O deputado Delmasso falou sobre as conquistas das famílias de pessoas com epilepsia. “Conseguimos a inclusão do canabidiol na rede pública de saúde para o tratamento das pessoas com epilepsia. E também a criação de um protocolo específico para as pessoas com epilepsia, a Secretaria de Saúde do DF é a única secretaria do país que reconhece o tratamento do canabidiol”, comemorou.

 

Com informações da assessoria de comunicação do deputado Delmasso

25 de março de 2019