Saveiros ao mar para homenagear um herói da Independência da Bahia

Por Rogério Sampaio

Mesmo depois de proclamada a Independência do Brasil, em 1822, os portugueses só foram expulsos definitivamente do Brasil, no dia 2 julho de 1823, após renhidas batalhas por terra e no mar, na cidade de Salvador e nas águas da Baía de Todos os Santos.

Um desses heróis foi João Francisco de Oliveira de Botta, conhecido como João das Botas, Oficial de Marinha, que enfrentou a poderosa esquadra portuguesa à frente de uma esquadra de saveiros, episódio tão marcante que o alçou à categoria de herói da independência da Bahia e hoje batiza uma tradicionalíssima regata de saveiros, que já está na sua 46a edição, na condição de patrono.

A regata João das Botas teve origem a partir .de uma viagem de volta ao mundo, realizada em 1969, por velejadores baianos. Na despedida destes velejadores, um número impressionante de saveiros ocupou a Baía de Todos os Santos. O evento inspirou ao então Capitão de Portos da Bahia que,a partir daquele ano, resolveu organizar uma regata de saveiros, inclusive como forma de manter a tradição, imortalizada na obra de Jorge Amado.

Ao longo de todas as sua edições, a Regata João da Botas se tornou a mais importante competição de embarcações regionais à vela do Norte e Nordeste. Neste ano participaram nove categorias, como saveiros de içar, vela de pena, de pesca, catraia e canoa, dentre outras.

E, como estamos na Bahia, antes mesmo de os barcos se lançarem ao mar, na avenida do Porto da Barra, local da largada, foi realizado um mini carnaval com a participação dos Filhos de Ghandi, bloco de percussão feminina e uma miniatura de trio elétrico, para deixar nos turistas e nativos aquele gostinho de quero mais por todas as festas que vão acontecer no longo verão baiano.

19 de dezembro de 2017


1 Comentário

Comentários não permitidos.