Silêncio na CPI sustenta a corrupção no Brasil, segundo Paula Belmonte

Com respaldo do STF, o empresário Victor Sandri, acusado de ser elo financeiro entre a JBS e o ex-ministro Guido Mantega, ficou calado sobre investigações no BNDES

Mais um calado na CPI do BNDES. Respaldado pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Victor Garcia Sandri não se pronunciou nesta última terça-feira (11) durante a comissão. A deputada federal Paula Belmonte ressaltou que o silêncio dos depoentes colabora com a corrupção no país. “Não podemos aceitar formações de quadrilhas para roubar o povo brasileiro”, disparou.

O italiano Sandri é empresário desde a década de 1980 no Brasil, envolvido em denúncias com os irmãos Batista, da empresa JBS. Foi acusado, em depoimento de Joesley Batista, de manter relações financeiras com o ex-ministro da Fazenda na era PT, Guido Mantega. As informações constam inclusive nas investigações da Polícia Federal. Mesmo assim, Victor Sandri seguiu orientação dos seus advogados e não respondeu as perguntas dos parlamentares na CPI.

Milionário, Sandri, segundo denúncias, fez fortuna no país com dinheiro público e recebeu isenções de multas de até R$ 56 milhões por ser amigo do ex-ministro Mantega. Paula Belmonte recordou delação realizada em 2014, época da reeleição da presidente Dilma Rousseff, que apontava a compra de apoio do PMDB com o dinheiro do BNDES.

O silêncio do empresário foi garantido por habeas corpus do STF, decisão bastante criticada pelos parlamentares. “Não podemos ter medo do Supremo ou de deputados antigos que querem se manter no poder e fizeram parte, sim, dessa quadrilha. Não podemos deixar que essa CPI seja calada”, alertou.

Apoio à Lava Jato
Paula Belmonte destacou que a abertura do esquema montado nos governos petistas e a alternância de poder foram possíveis com a operação Lava Jato.
“Não podemos permitir o STF tentar nos calar, precisamos nos posicionar. Que políticos e empresários envolvidos paguem por tudo isso e retribuam à população mais vulnerável deste país. Já contabilizamos 14 milhões de desempregados. Muitos vulneráveis por conta de um esquema de corrupção que mantém os brasileiros na miséria”, finalizou.

 

Com informações da assessoria de imprensa da deputada federal Paula Belmonte

14 de junho de 2019


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*