Todos na cola e à espera de Frejat

Engana–se quem aposta que a idade será empecilho para Jofran Frejat disputar pela segunda vez consecutiva o Palácio do Buriti. E engana-se mais ainda quem pensa que Frejat não tem a exata noção da força que demonstrou ao chegar ao segundo turno contra Rodrigo Rollemberg mesmo tendo feito menos de 30 dias de campanha.

Leia também: A versatilidade do ministro do TSE

Para a primeira dúvida, basta dizer que Frejat tem despachado regularmente na nova sede local do PR, que se mudou de Vicente Pires para um prédio na área central do Plano Piloto. E sobre a disposição de disputar outro cargo que não seja  novamente o de governador, Frejat tem dito aos pretendentes a aliança que até pode ser, desde que as pesquisas mostrem que a outra parte tem mais musculatura eleitoral do que aquela que ele demonstrou nas urnas em 2014.

Ou seja, difícil, muito difícil. Frejat até admite a amigos que gosta da ideia de disputar o Senado, mas desde que o candidato a governador dessa eventual chapa seja realmente um nome de consenso e com reais chances de vitória, coisa que ainda não apareceu no mercado eleitoral futuro do DF.

Com longa experiência parlamentar, Frejat tem ouvido todas as propostas, mas dificilmente definirá um caminho até o início do ano que vem. Açodamento nunca foi a marca registrada do ex-secretário de Saúde, muito menos agora com o prazo de filiação partidária reduzido de um ano para seis meses.

3 de agosto de 2017